23 de abr de 2010

Exemplo de Superação - Tony Melendez

Este vídeo deveria ser visto por todos que reclamam da vida, das coisas que muitas vezes são tão menos importantes, diante de dificuldades tão grandes como esta que vemos aqui...Com este vídeo, eu me emociono por dois motivos. Um: emoção com a superação dele. Dois: emoção, com o fato dele cantar para o Papa. Pois este Papa, foi o único que conheci pessoalmente.

29 de mar de 2010

Artigo para ser usado com o tema: FAMILIA

TÊNIS E FRESCOBOL - por Rubem Alves
Depois de muito meditar sobre o assunto, conclui que os casamentos (relacionamentos, são de dois tipos: os casamentos do tipo tênis e há os casamentos do tipo frescobol. O filósofo Nietzche, com o qual concordo inteiramente. Dizia ele; "Ao pensar sobre a possibilidade do casamento, cada um deveria se fazer a seguinte pergunta: Você crê que seria capaz de conversar com prazer com esta pessoa até a sua velhice?"
Tudo ou mais no casamento é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construidas sobre a arte de conversar. Scheherczade sabia disso. Sabia que os casamentos baseados nos prazeres da cama são sempre decapitados pela manhã, e terminam com separação, pois os prazeres do sexo se esgotam rapidamente, terminam na morte.
Tênis é um jogo feroz. O objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente aí que ele vai dirigir a sua cortada - palavra sugestiva - que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguem a ser derrotado. Aqui os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra. O erro de um no frescobol, é uma acidente lamentável que não deveria ter ocorrido. E o que errou pede desculpas, e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este jogo e em que ninguém marca pontos...